segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Verão na Bahia.



Ontem, por volta das 17:00h, começou oficialmente o verão na Bahia.
Por aqui o tempo corre diferente. A gente só segue o calendário Gregoriano por falta de tempo pra fazer um outro. Dizem que baiano é preguiçoso. Que se foda quem pensa assim! Fazer festa dá trabalho pra caralho.

Nosso ano começa pontualmente meio dia de quarta feira de cinza, quando Ivete desliga o Madeirada (nome do trio da Diva). Reveillon é uma festa de meio de ano, tipo São João.

As estações também são diferentes. Pra começar só temos duas: Calor com chuva e calor sem chuva, que a gente convencionou chamar de verão, pra poder nominar os ensaios com mais apelo.
Não seria a mesma coisa se fosse: "Começaram os ensaios da estação de calor sem chuva".

Pois bem! Sendo assim, o verão começa exatamente na hora que a Timbalada abre os portões do seu ensaio de verão. Trazendo consigo toda a leva de artistas que cultuam a estação. Esse ano seguiram a Timba: Motumbá, Alexandre Peixe, Tatau e Araketu. Vem por aí ainda Olodum, Harmonia, Jau e tantos outros.

Atrás dos ensaios vêm as feijoadas, lavagens, enxugagens e festivais que desenbocam no carnaval e aí pronto! Começa tudo de novo!

Pra quem não é da Bahia, pode pensar que a gente vive em festa. É verdade. É festa pra caramba! E é emprego pra caramba também. Diretos e indiretos. Na gravação do último DVD do Chiclete foram aproximadamente 3.000 pessoas trabalhando num evento pra mais de 30.000 pessoas. Isso porque Salvador não tem uma casa pra 80 ou 100.000 pulantes.

Portanto meus caros, chegou a hora deste que vos escreve trabalhar.
Meu trabalho é ajudar a manter nossa patente de terra da felicidade e de terra que vive em festa.

E aqui pra nós quem conhece sabe: Essa patente é nossa e ninguém tira!

Um comentário:

Jorge Martins disse...

tem desafio pra você no detesto gente inteligente...