quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

O bem vence o mal. Será?

Eu não sei quantos anos tinha.
Não mesmo.
Sei que era novo, mas poucas coisas restaram depois de tanta cerveja na minha cabeça como essa musiquinha:



Não me lembro de ter assistido muitas vezes, nem da letra toda, mas esse refrãozinho... Quantas mesas de bar ouviram amigos meus dizendo que se lembravam tb.

Triste pensar que se Gorpo e Dree Elle estivessem nesse mundo paralelo daqui, eles não poderiam cantar essa música. Aqui o mal vence às vezes.

Jornal de hoje:
Motorista de táxi bêbado, com a carteira suspensa, envolvido há 9 anos em acidente com morte e respondendo por crime de estelionato, desce uma das principais avenidas de Salvador na contra-mão e atinge um casal de idosos que estava a caminho do trabalho.

Jornal de ontem:
Policial militar que não passou no psicoteste mas fazia parte do Comando de Operações Especiais graças a mandato de justiça, mata mulher com quem oficializara união há 72 horas.

Jornal de ante-ontem:
Cabelereira presta 8 queixas de ameaça contra ex-marido e mesmo assim é assassinada na frente das câmeras de circuito interno.

Jornal de todo dia:
Preso, filmado, indiciado, apontado e visto, não sei quem, recebendo dinheiro de desvio público.

Reflexão de todo dia:
Tá foda pagar minhas dívidas e impostos e viver com o mínimo de decência, honestidade e conforto.

Dizer que o mundo tá todo fudido é lugar comum, não é sobre isso esse texto.
Na verdade se vc esperava, um guia sobre como superar as adversidades, ou algo próximo dos clássicos Augusto Cury e Ana Maria Braga, esse é seu primeiro contato com esse blog.

Talvez isso aqui seja só um desabafo, talvez mais uma reflexão sem maiores repercussões.
O fato é que tem hora que é foda.
A gente trabalha, rala pra caralho e vê todo dia crescer gente que leu um décimo de livros que eu, ou que deu, durante sua vida toda, mesnos bons dias do que eu esse mês.

Tenho estado reflexivo esses dias não estranhem. Não é uma crise de revolta contra o sistema. O sistema é falho, agressivo, rude, não alivía. Eu sei. Aprendí rápido.

O que eu levei tempo pra apprender é que causa e efeito são só produtos de estudo da física. Mais nada.
E o meu mêdo ta aí. no embrutecimento das pessoas frente a essa constatação de que muita gente boa se fode e muita gente ruim se dá bem. Como é que se consegue plantar numa pessoa que está moldando seu caráter bons valores? Se ela assistir televisão e tiver o mínimo de senso crítico então, quase impossível.

O que me conforta é acreditar que ser bom ou ruim, independe de ensinamento ou de reflexão. Depende de um conjunto de bom caráter, bom ambiente familiar (seja lá de que tipo) e acima de tudo bons exemplos. Vou tentar fazer isso e torcer pra que mesmo assim os meus cresçam.

Quanto ao Gorpo, Alguém diz pra ele parar de cantar, passar a pica (ou equivalente erótico) em Dree Elle e deixar o resto com He-Man. Por lá, no final ele sempre dá um jeito.

Sem mais, subscrevo.

3 comentários:

pontorouge disse...

Caraca!!! Essa música ficou muitos anos grudada na minha mente... Isso lembra absurdamente da minha infância, de quando chegava da escola e ligava a tv no Show da Xuxa. Adoreeeei.

Mas prefiro acreditar que o bem vence o mal e que o mocinho sempre ganha no final.

beijo rouge

Dani

Lília disse...

Eu sou cética mesmo! Quer romance compre um livro! Vence quem tem o poder nas mãos! Infelizmente é isso!

lilaemarcelo disse...

Lembro sim da música toda e do desenho. Emr elação ao que escrveu, é minha preocupção diária, a cada segundo; como fazer de meu filho uam pessoa de caráter, como ensiná-lo que o bem é o melhor caminho, se a vida mostra que o mal se dá bem, ganha mais dinheiro, mata sem ser punido? Difícil!