domingo, 28 de setembro de 2008

Existem artistas e artistas


Primeiro vamos esclarecer uma coisa:
Eu só vou colocar aqui comentários sobre bastidores ou artistas que tenham alguma coisa de positivo pra ser falado. Não vou transformar o blog em uma revistinha de fofoca. Esse definitivamente não é o objetivo.
Logo, se vc lê o blog na esperança de descobrir aquelas curiosidadesinhas ridículas, é melhor procurar a próxima contigo. Ok?
Vamos lá:
Sexta-feira foi a vez de Zé Ramalho se apresentar no circuito das artes. O show foi maravilhoso.
O cara é uma figuraça. E é dele que vem meu raciocínio sobre artistas e artistas.
Zé Ramalho é feio, usa umas roupas loucas tipo Earth Wind and Fire, cheia de lantejoulas, não interage com os fãs e é feio (só pra gente não esquecer).
Porém... Quando o cara entra no palco... É arrebatador. O vozeirão, a banda, e a unidade entre eles é uma coisa pra parar e olhar. Sensacional.
O público ficou enlouquecidamente emocionado, que o diga Drumond e suas lágrimas. O repertório pra acabar de lenhar, foi repleto dos clássicos. Quando ele dava aquela paradinha pra ouvir a galera, a resposta era a afirmação da emoção.
A palavra show só deveria ser usada em ocasiões como essa.
O que me faz pensar: Quando eu for famoso, vou querer ser como Djavan ou como Zé Ramalho?
Agradável e atencioso com meus fãs ou fechado e isolado?
Sei lá.
Eu quero primeiro ser famoso, depois competente como ambos, quero ser rico também o que eu sei que acaba sendo consequencia e se depois de tudo isso eu ainda conseguir me manter mais bonitinho do que Zé Ramalho, Tá bom demais.

3 comentários:

Juliana Rocha disse...

O resto, prefiro não comentar!!! hahahahaha

Jorge Martins disse...

Deveria ter ido. Assim evitaria uma festa estranha com gente esquisita que me ocorreu na sexta...

Druba disse...

Pois, é. E pensar que eu nem queria ir...