sexta-feira, 3 de julho de 2009

Celinha e o vaso de plantas

Celinha pra quem não conhece, ou nunca foi no Empada com Birita, é a mãe por diária de uma galera: Eu e cabeça (a queme ela chama de Julinha e o marido de Julinha), Neto (irmão de cabeça, a quem ela chama netinho), de Drummond (a quem ela alcunha de Seu Brummond) de Isabelle (Belinha) e tantas outras que sequer conhecemos, apesar de sermos irmãos.

Celinha é a pessoa mais inocente, mais mãezona e mais louca com quem convivo. Ela faz faxina e confusão nas casas da gente.

Compra mantimentos que estão faltando nas nossas despensas e não que receber o dinheiro de volta;
Leva todos os panos de chão da casa pra lavar, Deus sabe onde, e só volta em uma semana, sem saber o que é de que casa;
Some com papéis importantes;
Faz a gente brincar de jogo da memória toda semana, já que julga redecorar a casa, parte de suas atribuições. Etc.

Contar façanhas de Celinha é como contar Papos com Cabeça, tem que ser em gotas homeopáticas. Uma dessas segue:

- Seu Pablo
- Diga Celinha
- Vou trazer uma planta pra colocar nesse caco bonito
- Que caco Celinha?
- Esse transparente. Fica aqui na sala sem serventia.
- Qual Celinha?
- Esse aqui ó (me mostrando impaciente)
- Celinha isso é um balde de gêlo
- Há que pena...

Primeiro eu pensei que tava ficando maluco, por ter um caco de planta transparente e nem saber que tinha.
Depois percebí que pra ela, ter ganho um balde de gêlo de acrílico e não querer fazê-lo de porta planta é uma pena.

Celinha é assim e sem mais subscrevo.

Um comentário:

Dani disse...

Adorei a história de Celinha, cheia de boas intenções com o balde de gelo