terça-feira, 10 de novembro de 2009

Eu vou meter o dedo


Antes de meter o dedo, como eu gosto de fazer de vez em quando, quero dizer uma coisa:

Esse é um post de opnião, portanto:
Vc que vem pela primeira vez, dê uma olhada pra ver se essa idéia bate com a sua. Se bater, seja bem vindo e fique a vontade. A casa é sua.
Vc costumaz, que já imagina o que vem por aí, se não tiver a fim hoje, pode voltar a trabalhar.

Isto posto, vamos ao que interessa:

Muito se falou esses dias (que jeito ridículo de se começar uma narração) sobre a moça do vestido curto da Uniban. Postaram vídeos dela desfilando em seu modelito, expulsaram depois desistiram, a Une fez paralisação em frente a faculdade, e mesmo faltando os tambores do Olodum no pelourinho para dar a sua parcela de contribuição ao fato, a moça virou celebridade.

Geise Arruda o nome da garotinha.

Ao primeiro olhar, parece que o Brasil é um pais de sacana. Que a a mídia é porca, vazia e até eu pareço um desocupado quando paro pra escrever sobre isso. Parece, mas na verdade nada nunca é tão simples.

O levante popular sempre tem um motivo. Nem sempre um bom é verdade, mas sempre tem um. Nesse caso, será que apenas uma saia curta , ia criar essa comoção? Acho que não.

O que eu acho é que alí se trataram de forças destintas:
De um lado os recalques femininos disfarçados de moralismo, aliado a impotência machista disfarçada de vandalismo e de infantilidade.
Do outro a esculhambação muleque, a safadeza, a vontade de aparecer disfarçada de saia curta e de liberdade de expressão.

Elas estavam com inveja.
Queriam lá no fundo ter um pouquinho do instinto vadio da mulher dada.
A mulher que bota os pernões de fora e sobe a escada empinando a bunda pra mostrar os dotes. A mulher safada descompromissada, desimpedida que se vc cantar bem leva. Alí na hora.
A cachorra, aquela que não tá nem aí pro que a avó pensaria, vai na loja, compra a calcinha mais sacana, o vestido mais escroto e vai pra faculdade abusar.

Eles queriam pegar.
Queriam ter dinheiro pra pagar, mas não tinham.
Queriam ser bonitos, ou bons de papo pra levar de graça, mas não eram.
Queriam ver ela nua, mesmo que pra isso inflassem a balburdia, na intenção de que as carolas lascassem aquele vestido rosa e eles pudessem enfim ajudar.
Quem sabe uma mão aqui, ou outra alí pra cobrir os predicados da pobre e indefesa jóvem.
Instinto primitivo e já que estupro é crime uma bronha decente era o que eles se achavam merecedores.
Era só isso que eles queriam.

E ela? Ela queria isso mesmo.
Se mostrar, aparecer, abusar, afrontar, ser o alvo da punheta alheia.
Tinha corpo e teve peito pra isso. Por isso fez e eu acho louvável.
Claro que as coisas sairam muito melhor do que o esperado e a qualquer momento saberemos pra que revista ela vai pousar nua.

Eu tenho uma memória razoavelmente boa e me lembro de uma outra moça que teve um vídeo de sexo caseiro vazado na internet e por isso tb teve que sair escoltada pela polícia de uma faculdade.
As pessoas ficaram indóceis quando viram que mesmo depois do tal vídeo ter feito sucesso na net ela ainda teve a coragem de aparecer em público.
Como é que uma impura, uma mulher que faz sexo, tem coragem de aparecer no sagrado chão da universidade particular?

Estudei em uma universidade pública. Conviví com todo tipo de gente. Mulheres mais específicamente.
Gente boa como minha esposa. Gente não tão boa. E vagabundas da pior espécie. Sabe qual era a diferença no tratamento? Nenhuma. Sabe porque? Ela tava lá porque teve competência pra estar, não porque teve dinheiro pra estar. Isso faz uma diferença enorme.

Acredite quem quiser. Não faço distinção entre pessoas. Tem gente boa e ruim de todo jeito. Homem, mulher, preto, branco, católico, judeu, delegado ou prisioneiro. Rica ou pobre. O que eu quis dizer no parágrafo acima é que me assusta o que pode nascer de um lugar, onde as pessoas são educadas pra gritar pelo que querem com uma nota de dinheiro na mão. Tenho visto isso e esse tipo de gente me enoja. Pseudo riquinhos que podem tudo e mocinhas donas da verdade.

Não me surpreendeu o reitor querer expulsar, muito menos ter desistido. A mídia sem dúvida ainda é o melhor sistema judiciário do mundo. Na verdade nada me supreendeu. Todo mundo alí fez o que quis e aguentou as consequencias de. O que me motiva a escrever e a pensar sobre o caso é o estalo. O momento, o tiro acidental que dispara a guerra.

O que aconteceu pra ter começado? Os bois correm pra direita porque o boi da frente foi forçado a correr pra direita e gente é gado. Gente é motivado pelas mais diferentes razões, mas sobretudo pelo extinto do coletivo, da manada. Não era a primeira vez que ela ia daquele jeito. O que motivou a primeira pessoa a chamar ela de puta e correr atrás? Nunca vou saber, a mídia não tá interessada nisso.

A mim cabe pensar em quantas vezes eu fui o primeiro boi. Quanta gente eu devo ter prejudicado, ou feito bem por puxar a boiada. O ser humano realmente é intrigante.

Quanto as moças. Espero que não se sintam acuadas. Espero que continuem enfeitando as praias, as faculdades, as academias e todos aqueles lugares míticos onde se podem ver esses espécimes em seu habitat. Se mostrando, aparecendo, sendo cobiçadas e valendo cada centavo e tempo gasto com o corpo.


Vão pequenos grãos de discórdia entre casais, vão ao mundo criar balbúdia e torcicolos. Vcs são necessárias a sociedade moderna mais do que imaginam. Vcs são o elo perdido da consciência machista e retrograda. Um dia, quando olharmos pra uma bunda como a de vcs não pensaremos apenas no prazer que ela pode proporcionar quando de quatro chamam por um nome, mas no que isso vale realmente.


Pra que vale uma mulher?
Essa é a grande pergunta.
Afinal, ensinamento bom é aquele que acaba como começa.

Com uma dúvida.

Sem mais, subscrevo.

13 comentários:

Milinha disse...

Valeu hein... Pago a minha facul com o meu suor e vc me esculhamba desse jeito...

ÓOOO ceús!!!

Milinha disse...

Valeu hein... Pago a minha facul com o meu suor e vc me esculhamba desse jeito...

ÓOOO ceús!!!

Pablo Araújo disse...

Pra mim vale tanto ou até mais do que a minha pública.
O problema não é vc, mas alguns de seus coleguinhas.

Jorge Martins disse...

O melhor texto sobre o assunto.

Pablo Araújo disse...

Sabia que vc ia gostar.

Marcelo L. M. Trevisan disse...

Muito bom seu texto, vou passar o link adiante

Pablo Araújo disse...

Valeu filhote.

Michel Aguiar - Designer disse...

Show,adorei o texto!

Michel Aguiar - Designer disse...

Show,adorei o texto!

lilaemarcelo disse...

Perfeito man! Somos realmente bois, isso é o resumo correto da humanidade.

viltoncruz disse...

Em geral gostei do texto. Nada mais certo... somos bois e só precisamos de um para ditar a direção. Os motivos que levaram a este acontecimento tão deprorável foram estes mesmo citados e eu assino em baixo. Só acho q tu viajou um pouco no final sobre o valor da muie, mais ficou legal!! valeww

Diu Mota disse...

Gostei muito da comparação da mutidão com gado. A grande interrogação é como se deu o "primeiro tiro", desprezado pela mídia, que atiçou toda essa palhaçada. Esse mundo está começando a me assustar de verdade.

Inté

Anônimo disse...

Quem estuda em faculdade pública sempre se acha melhor que os outros. Mas na verdade sabemos que fizeram os melhores cursinhos e as melhores escolas pagas. Mas provavelmente vc não vai concordar comigo, mas tudo bem. Sabemos que é verdade.