quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Amigueiros

Eu cito amigos aqui no blog. Quase sempre conto casos. As vezes os envergonho, as vezes os homenageio, mas nunca, nunca intento destruí-los.

Leia isso aqui antes de proseguirmos.

Se vc foi obediente e leu tudo, deve ter voltado aqui e ido lá e mais uma vez e tal.
Pois bem, como dito antes, cito amigos aqui no blog e como a maioria dos meus amigos (pra que eu comesse a maioria dos meus amigos, teria que ter escrito e como como a maioria... imbecil) tem blog, acabo cintando esses blogs também.

Um exercício que julgava importante até então, afinal, o mesmo prazer de comunicar que tenho, acredito, todos esses amigos blogueiros têm. Sei também que nem todos esses blogs podem ser considerados, como este, paises em fase de desenvolvimento. Por isso, sempre me senti muito bem em dividir com eles minha imensa popularidade, novamente até então.

Vem daí que, sempre leio meus próprios posts. Leio pra tentar entender, o que me motivou naquele momento, a escrever dada merda. E porque esta asneira é diferente da que eu estou escrevendo agora. Mais ainda, que comentários esse ou aquele post incentivou?

Isso acaba sendo um termômetro bom, porque me mostra que não só eu escrevo merdas em série, como vcs acompanham e comentam quanto mais porca seja a escrita.

Assim, ao rever meus últimos posts, percebí que eles estavam trasnformando meu blog numa espécie de caixa de recados.

Eu escrevia sobre algum amigueiro (claro que vcs inteligentes que só, já perceberam que é uma abreviação boba de amigo blogueiro) e este respondia no seu blog me incitando a escrever novamente, que respondia colocando já um outro, que também respondia no blog e tal.

Sem perceber criamos um circulo semi-fechado, em que para um novo visitante entender, seria necessário abdicar de horas de trabalho, ou de sexo, pra ler cerca de uma centena de posts, até entender por exemplo quem é o demônio do dia de domingo e por aí vai.
Percebendo isso, resolví dar um tempo nesse tipo de publicação e me dedicar a besteiras sem pé nem cabeça, porque sei que faço isso muito bem.

No entanto, fui tomado de surpresa por um telefonema que dizia:
- Comigo é na inhanha
- Mexeu comigo sua resposta tá lá.

Sentí meu futuro ameaçado e corrí pro agora site. Estupefacto fiquei e ainda estou, a ver os comentários de um tal Jojó da baba, um rapazinho, dono de um blog imundo e pouco visitado.
Um rapaz ranzinza e amargurado que usa dos seus expedientes contra mim, cabeça e nosso enlace matrimonial, que aqui reforço é sólido e não se abalará com tais dispautérios.

Fui acusado de ir pra peça Camélia e Ravelovich, no centro cultural da Barroquinha, ao lado do Cine Gláuber Rocha, que está em cartaz de quinta a domingo, as 20:00h, que custa R$ 10 e que se eu fosse vcs eu iria (aliás eu fui) para apenas de lá trazer comentários sobre peitcholas fracesas.

Calúnia. A atriz não tem peitcholas. Tem caroçinhos de amendoim pré torrados que só fazem o gosto daquele depravado que tem como ideal de mulher gostosa Sarah Silverman.
Por isso, como quis incentivar tal pessoa, a ter um contato qualquer, com algo cultural que não seja beber em lugares turísticos, tentei incentivá-lo dizendo:
- Vai que a atriz paga um peitinho do tipo que vc gosta.

Vejam vcs como o mundo é sujo, como as pessoas são cruéis. Tentei incentivar o homem isopor a ir ao teatro e sou alçado a marido descarado que vai pra teatro olhar peito de atriz.

Pois bem rapazinho. Ponha-se no seu lugar, porque cabeça, minha digníssima, tem atributos que encabulariam toda uma França e não me sobra tempo em casa, dada a nossa atividade lúdica preferida, para olhar pra peitos, peitcholas, peitinhos ou o que quer que seja, em qualquer que seja o lugar.
A propósito leia também seu post e veja quem, depois de tudo, disfarça e novamente sugere uma "reunião dominical" lá, na toca da onça, onde tudo começou.
O que vc quer com isso? Deixar a mocinha com todo o crédito por aquelas segundas-feira destruídas, em que vomitamos em cima dos papeis que deveríamos cuidar?

Não. Vc tem parte. Vc é um dos arquitetos do cão sim. Vc quer nos destruir a todos. Vc nos quer desempregados e esmolés aos seus pés bem sucedidos. Aceite isso. Vc é maligno, maléfico e maledicente.
Aceitando isso, vc vai ser uma pessoa melhor e quem sabe resolve acatar a idéia de beber tsunamicamente no sábado e destruir o domingo, já que ele foi criado pra isso.

Aproveitando o ensejo recuso, com pesar, seu convite pra quela cervejinha de domingo na Pedra Furada. Tenho assuntos que requerem uma pequena viagem ao interior da Bahia.
Sábado pretendo fechar um negócio que nos embebedará a todos e 16 de Agosto é procissão de São Roque com o qual tenho obrigações (segunda conto quais).
No entanto, semana que vem, se vcs estiverem livres, tenho planos tão maléficos quanto os seus, ou seja, estou aos poucos me rendendo aos que não consegui combater.

Sem mais, subscrevo.

2 comentários:

Jorge Martins disse...

ahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahahaahahahahaha

disse...

kkkkkkkkkkkkk

vcs são figuras!