terça-feira, 21 de outubro de 2008

Dúvidas e mais dúvidas

Os meus parcos leitores entraram no blog pra ler minhas aventuras de fim de semana e como não viram, me sacanearam. Eu achei legal. Eu também me sacanearia.
O fato é que eu fiquei numa puta dúvida e enfim, explico porque.
Eu tive um fim de semana de fuder! Muito bom mesmo!
Sexta encontrei uns amigos que eu não via há um bom tempo. Sentei pra tomar "duas cervejas" e tomei 24, ou seja: Massa.
Sábado saí com nosso fiel escudeiro Drumond pra fazer um tour por novos butecos e descobrimos lugares bacanas, ou seja: Massa.
Domingo fui pro Esporte Motor da Petrobrás: F O D A (muito cheio, mas foda) e como Cabeça (minha esposa) já tinha chegado, levei ela a um dos melhores butecos do fim do sábado, ou seja: Massa.
Até que resolvemos comprar um sorvete e vímos um cara ser assassinado.
Cara, isso fode o fim de semana de uma pessoa.
Daí a dúvida.
Faço um post sobre a parte boa, ou sobre a parte ruim? Sobre os dois é impossível! Achei.
Essa dúvida me tomou dois dias.
Na verdade nós não vimos o crime em sí. Tinhamos acabado de parar o carro, ouvímos tiros e depois do silêncio saímos e vímos um cara fuzilado. Simples assim.
Se eu não tivesse ído ver de perto (grande idéia), o fato nem teria me chocado. E isso é que me choca.
Juntou a morte de Eloá, que eu não conheço, com a visão de um cara que eu não conheço, recém-morto e pronto. Tive a sensação que a coisa tá mais perto da gente do que parece. E isso, acreditem: Isso sim choca.
Como agora já passou, tenho a sensação de que se Eloá não tivesse morrido de forma tão trágica e se os jornais durante a semana tivessem tido 3 assuntos, eu provavelmente tinha tirado fotos da cabeça do cara estourada e colocado na internet. E isso: Isso me choca.
A visão de que o mundo tá tão fudido, que a gente nem precebe que as coisas estão acontecendo ao nosso redor, deveria, mas não choca mais ninguém. Não faz com que a gente chore, ou entre em pânico.
Eu tenho medo de virar uma pedra. Um cara que só se preocupa com quem diretamente me importa, um cara que não sente nada quando alguém distante sofre.
Não sei se isso me faria uma pessoa melhor. Acredito que não. Mas por outro lado, se eu me sensibilizar com Datena, Ana Maria Braga, ou com tudo o que tenho visto, mesmo sem querer, vou chorar e entrar tanto em pânico que não vou ter tempo de cuidar do que é meu.
Enfim, Dúvidas.
Dúvidas e mais dúvidas.
E olhe que com elas eu só perdí dois dias. Tem gente que perde uma vida.
Mas isso não é problema meu. Ou não.

Um comentário:

Juliana Rocha disse...

De lenhar! Vc é demais meu cabeção!