quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

1400 palavras foi pouco

Carnaval chegou. Curtam agora. Porque quando quinta feira, dia 19 de fevereiro chegar, já era. Como disse Luiz Melodia “Carnaval Carnaval eu fico triste quando chega o carnaval”.

Acho que ele queria falar sobre essa relação tempo x espera. Ou no quão rápido parece correr o tempo, quando chega alguma coisa, que a gente espera muito. Eu por exemplo, tenho uma visão: Me vejo no Morro do Gato quinta feira, o mais cedo que posso, esperando o primeiro trio passar. Pisco o olho duas vezes e tô em casa, quarta feira de cinzas, com a ressaca do mundo todo sobre minha cabeça. E há se fosse só a ressaca física. Há se fosse. O problema é o buraco que fica quando Momo devolve a chave, quando Ivete desliga o Madeirada. O vazio que dá no peito, deve poder ser visto numa ultrassonografia.

Mas enquanto quinta não raia, ficaremos aqui esquentando os timbaus.

Pois bem, num desses meus devaneios coloquei exatas e humildes 1400 (pode contar) palavras a serviço do carnaval da Bahia Jonga Cunha escreveu um livro. Lógico que então 1400 palavras é muitíssimo pouco.

Por isso resolvi escrever mais algumas, principalmente pra não deixar de fora quem eu criminosamente deixei.

Tomate por exemplo, saiu do Rapazzola que não puxava nenhum bloco de expressão, pra puxar sozinho o Papa, sucedendo o Babado novo. Puta responsabilidade. E como carnaval é coisa séria, não se faria nunca um investimento desses num cara sem potencial. Claro que as vezes os enganos são desastrosos, como Emanuele Araújo no Eva, mas na maioria a coisa é muito estudada. Tomate é uma promessa, o sacana tem uma pegada de trio enorme. Aposto que 2009 é o ano em que ele vai se firmar de vez.

Mais criminosa ainda foi a minha omissão, deixando de fora a pseudo deusa do axé, a pseudo branca mais negra da Bahia, a pseudo SuperMegaExtraGGStar Daniela Mercury. Um dinossauro clássico. Já foi a peça mais importante do carnaval da Bahia, hoje de importante só tem mesmo o camarote, que diga-se de passagem é mérito de Lícia Fábio. Daniela tem aquele ar intocável que permite a ela, colocar um piano de calda em cima do trio e ser ovacionada pela imprensa, deixando o pobre folião do Crocodilo querendo se matar.

Por último e por enquanto, queria aproveitar pra lamentar o expresso 2222, que depois de se firmar como grande atração das noites bêbadas da Barra, quando passava depois de todo mundo, arrastando aquela multidão embreagada, ao som de convidados como Lulu Santos, Jorge Bem Jor, Sandra de Sá e tantos outros, não vai sair esse ano. Motivo: Não vendeu todas as cotas de patrocínio. Uma Perda irreparável.

Como eu disse 1400 foram poucas essas 442 também o serão, haverão outras. Porque falar, esperar e curtir carnaval é comigo mesmo.

Que me sigam os bons.

Um comentário:

Scheila disse...

porraaaa, pretoooo!! nossa ida atrás do expresso ano passado foi sucesso puro... pena q n terá esse ano. E outra: nem me chamem mais p sair na terça e voltar cedinho e ficar lá até 2h da manhã dando bala em troca de cerveja por n ter mais um centavo no bolso ao som do psirico! e mais: nem invente de enfrentar as muquiranas c uma pistolinha de água naum! compre uma bazuca, viu???