sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Onde está o glamour?

Antes de começar a trabalhar com produção de eventos, eu achava o máximo rádio. Sim, aqueles rádiozinhos com o fonezinho pendurado. Eu achava o máximo. Também adorava camisa de produção. Eu achava mais que o máximo (existe isso?).
Eu ficava vendo as pessoas correndo, de um lado pro outro, com camisas de produção e rádios pendurados e pensava: Isso é muito melhor do que camarote.

Hoje eu uso rádio e camisa de produção e vou contar a verdade:

Por melhor que seja a festa, por mais bêbado que vc tenha ficado e por mais que você tenha curtido. Existem problemas entre a portaria e o fundo do palco que nem a maior das filosofias imagina. O rádio serve pra vc ser responsabilizado pela sua parte nesses problemas, bem como ser pressionado a resolvê-los AGORA.

A camisa de produção, por sua vez, serve pra destacar vc na multidão, ou em termos práticos, pra multidão saber que vc é o responsável por aquilo, que porventura, ela não esteja gostando no momento e claro, lhe puxar pelo braço. Crachá tb serve pra isso.

Eu gostaria de ser assediado como as pessoas pensam que eu sou, curtir e ou principalmente ganhar o que pensam que eu ganho. A verdade é que é um trabalho com hora pra entrar e nem uma idéia da hora de sair. Ontem mesmo, comecei as 9:00 e terminei as 4:00. Hoje de manhã as 10:00 já tô aqui de novo.

Porque a gente faz isso? Onde é que tá a porra do glamour disso?

Não sei, mas tenho uma teoria:

Não existem trabalhos melhores que outros. existem pessoas que se adaptam ao trabalho melhor do que outras. Daí o gosto pelo que fazem e o reconhecimento por fazerem bem.

Eu aguento ficar 30 horas sem dormir. Eu aguento dormir 3 horas por dia durante uma semana. Eu aguento ser pressionado ao extremo e conseguir manter a cabeça, mais ou menos funcionando o suficiente, pra resolver a fonte da pressão. Eu aguento. Muita gente não.

Por outro lado eu não aguento bater ponto. Não aguento trabalhar 8 horas por dia com 2 de almoço. Ñão aguento ter hora pra acordar, muito menos pra dormir. só de pensar me sinto numa bolha com tempo de ar determinado.

Não sou melhor do que ninguém (aliás sou, mas isso é uma outra história). Só me adapto bem a algumas coisas, raciocíno rápido, sou criativo, observador e tal. Outras pessoas tem outros valores que eu não tenho. Quando junto tudo, me sinto muito apto a trabalhar com o que eu trabalho e é por isso que acredito que ainda vou dominar o mundo. Só isso.

Produção não tem glamour, tem trabalho. Muito trabalho, logo, muitas recompensas. Eu por exemplo, conheci mais gente nos últimos seis meses que nos últimos seis anos. Tenho números no meu celular que me permitem entrar em quase qualquer festa de Salvador e por aí vai, mas ainda não me sinto completo, falta o mundo.

Mas ele que me aguarde.

4 comentários:

Jorge Martins disse...

Eu acho que você tem a manha pro negócio.
Não é fácil, mas você consegue, sem dúvidas. Eu não conseguiria.

lilaemarcelo disse...

PAblo, cérebro e pink!
"O que vamos fazer hoje? O mesmo que fazemos todos dos dias: dominar o mundo!"

Cris disse...

Eu acho que vc broca, e toço que você conquiste o mundo, se é que já não conquistou de uma forma ou de outra. Bjs

Paulo Bono disse...

outro excelente post.
e passo por esses pensamentos esses dias.

abraço